29.1.08

30/01 - Dia do Quadrinho Nacional

A foto acima foi tirada no II Salão de Humor do Center Lapa (2000). Em pé: Antonio Cedraz (eleito Mestre do Quadrinho Nacional em 2001, criador da Turma do Xaxado, Joba, tiras em varios jornais do Brasil, livros, etc...), Hector Salas (Crau, Brazil, Tara Brazil, Tudo com Farinha, Jornal O Pasquin21, diversos zines e periódicos alem de diversos salões nacionais e internacionais...), Valmar Oliveira (Crau, Brazil, Tara Brazil, Tudo com Farinha, diversos zines alem de diversos salões nacionais e internacionais...); agachados: Rogério Rios (Tudo com Farinha, diversas tiras publicados em jornais da Bahia, diversos salões nacionais, ...) e William Leitão (revista em quadrinhos O Jegue).


O Dia do Quadrinho Nacional


Na próxima quarta-feira é o Dia do Quadrinho Nacional, em homenagem à primeira história publicada no Brasil, em 1869. De lá para cá, muita coisa rolou e, a cada dia, mais jovens mergulham no mundo mágico das HQs, não só como leitores.
O periódico do Rio de Janeiro chamado Vida Fluminense, publicou, há 139 anos, a primeira história em quadrinhos do País: As Aventuras do Nhô Quim ou Impressões de uma viagem à Corte, escrita e desenhada por Ângelo Agostini. O personagem era um caipira que, hoje, é um dos símbolos da cidade de Piracicaba (SP). Foi uma das primeiras HQs do mundo. Agostini foi, também, um dos fundadores da mais importante revista em quadrinhos brasileira, em 1905, O Tico-Tico.

O espírito do Dia do Quadrinho Nacional foi, inicialmente, o de consagrar como Mestres, os profissionais que dedicaram, pelo menos, vinte e cinco anos de seu trabalho aos quadrinhos nacionais. Depois, o sentido da homenagem foi ampliado para os melhores trabalhos do ano anterior e atualmente existe uma referência à produção alternativa, feita através dos fanzines. Mas a proposta inicial foi mantida, ou seja, a categoria; profissionais, amadores, estudiosos e aficionados do assunto escolhem, através de votação, quem receberá o Troféu Angelo Agostini. Por volta do mês de novembro de cada ano, são distribuídas as cédulas de votação. Feita a apuração, os vitoriosos são homenageados, com direito a uma exposição, troféu e muita badalação. Um momento emocionante para a maioria - constatação de que sua arte é apreciada por outros, além de ser uma festa para todos os quadrinhistas.


Nomenclaturas

Histórias em quadrinhos (ou Gibis) no Brasil, Comics nos Estados Unidos, Bande Dessinée na França, Fumetti na Itália, Tebeos na Espanha, Historietas na Argentina, Muñequitos em Cuba, Banda Desenhada em Portugal e Mangá no Japão.


Todos os premiados

1984: Eugênio Colonnese, Jayme Cortez, Messias de Melo e Rodolfo Zalla (mestres). O editor Itagyba de Oliveira da revista Inter Quadrinhos.

1985: Gedeone Malagola, Júlio Shimamoto e Nico Rosso (mestres), Watson Portela (desenhista), Júlio Emilio Braz (roteirista), Chiclete com Banana/Circo e Medo/Press (lançamentos).

1986: Flávio Colin, Sergio Lima e Henfil (mestres), Mozart Couto (desenhista), Gilberto Camargo (roteirista), Bundha/Press (lançamento), Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (especial) e, pelos 50 anos dedicados aos quadrinhos, um troféu especial para Jayme Cortez.

1987: Cláudio Seto, João Batista Queiroz e Luiz Sá (mestres), Spacca (desenhista), Fernando Gonsales (roteirista), Radar/Press (lançamento). Neste ano, foi intituído o Troféu Jayme Cortez para os incentivadores da HQ nacional, entregue ao Marcatti.

1988: Rubens Francisco Lucchetti, Jaguar e Álvaro de Moya (mestres), Laerte Coutinho (desenhista), Luiz Aguiar (roteirista), Seleções do Quadrix, Garra Cinzenta/Waz (lançamento), Jal e Gualberto (Troféu Jayme Cortez).

1989: Miguel Penteado, Walmir Amaral e Ziraldo (mestres), Gustavo Machado (desenhista), Novaes (roteirista), Menino Maluquinho/Abril (lançamento), Franco de Rosa (Troféu Jayme Cortez).

1990: Aylton Thomas, Reinaldo de Oliveira e Primaggio (mestres), Hector Gomez (desenhista), Laerte Coutinho (roteirista), Piratas do Tietê/Circo (lançamento), Franco de Rosa (Troféu Jayme Cortez).

1991: Izomar Camargo, Ismael dos Santos e André Le Blanc (mestres), Gustavo Machado e Lourenço Mutarelli (desenhistas), Laerte Coutinho (roteirista), Graphic Trapa/Abril (lançamento) e Worney A. Souza (Troféu Jayme Cortez).

1992: Mauricio de Sousa, Waldir Igayara e Carlos Zéfiro (mestres), Marcelo Campos (desenhista), Laerte Coutinho (roteirista), Pau-Brasil/Vidente (lançamento), Panacéa (fanzine) e Gibiteca Henfil (Troféu Jayme Cortez).

1993: Ely Barbosa, Lyrio Aragão e Getúlio Delphin (mestres), Marcelo Campos (desenhista e roteirista), SemiDeuses/Saga (lançamento), Panacéa (fanzine) e Edgar Guimarães (Troféu Jayme Cortez).

1994: Ivan Saindenberg, Paulo Fukue e Roberto Fukue (mestres), Fernando Gonsales (desenhista), Arthur Garcia (roteirista), Mulher Diaba no Rastro de Lampião/Nova Sampa (lançamento), Marvel News (fanzine) e Edgar Guimarães (Troféu Jayme Cortez).

1995: Helena Fonseca, Paulo Hamasaki e Antonio Duarte (mestres), Arthur Garcia (desenhista), Lúcia Nóbrega (roteirista), Coleção Assombração/Ediouro (lançamento), Informativo de Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgar Guimarães (Troféu Jayme Cortez).

1996: Fernando Ikoma, Maria Aparecida Godoy e Oscar Kern (mestres), Sebastião Seabra (desenhista), Laerte Coutinho (roteirista), Gibizão da Turma da Mônica/Editora Globo (lançamento), Informativo de Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgard Guimarães (Troféu Jayme Cortez).

1997: Carlos Thiré, Manoel Victor Filho e Zezo (mestres), Marcelo Campos (desenhista), Marcelo Cassaro (roteirista), Metal Pesado/Metal Pesado Editora (lançamento), Informativo de Quadrinhos Independentes (fanzine) e Metal Pesado Editora (Troféu Jayme Cortez).

1998: Deodato Borges, Luiz Antonio Sampaio e Péricles (mestres), Laerte Coutinho (desenhista), Marcelo Cassaro (roteirista), Cybercomix/Editora Bookmakers (lançamento), Mocinhos e Bandidos (fanzine) e Editora Bookmakers (Troféu Jayme Cortez).

1999: Adolfo Aizen, Moacy Cirne e Renato Silva (mestres), Marcelo Campos (desenhista), Gian Danton (roteirista), Dobro de Cinco/Devir Editora (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgar Guimarães (Troféu Jayme Cortez).

2000: Edson Rontani, Ivan Watsh Rodrigues e Renato Canini (mestres), Flávio Colin (desenhista), André Diniz (roteirista), Fawcett/Editora Nonarte (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgar Guimarães (Troféu Jayme Cortez).

2001: Antonio Cedraz, Claudio de Sousa, Edmundo Rodrigues, Ignácio Justo, Ionaldo Cavalcanti, José Delbó, Luis Sátiro, Luiz Saindenberg, Luscar, Nani, Osvaldo Talo, Rubens Cordeiro e Zaé Júnior (mestres), Flávio Colin (desenhista), Wellington Srbek (roteirista), Fábrica de Quadrinhos/Devir (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine) e Editora Opera Graphica (Troféu Jayme Cortez).

2002: Otacilio D'Assunção, Laerte Coutinho, Moacir Rodrigues, Antônio Eusébio e Tony Fernandes (mestres), Julio Shimamoto (desenhista), Wellington Srbek (roteirista), Madame Satã/Opera Graphica (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine), Editora Opera Graphica (Troféu Jayme Cortez), Cláudio, Spacca, Marcio Baraldi, Lupin e Bira (cartunista), Alexandre Silva, Lilian Mitsunaga, André Vazzios, André Hernandez, Alexandre Jubran (arte-técnica), Franco de Rosa, Carlos Mann, Roberto Guedes, André Diniz e Edgar Guimarães (editores), Erica Awano, Emir Ribeiro, Marcelo Borba, Sílvio Spotti e Omar Viñole (arte-final), Impacto, Quanta, Esa, Graphis e Abra (escolas), D-Arte, Ebal, Vecchi, Grafipar e GEP (editoras clássicas), Escala, Via Lettera, Devir, O Pasquim e Virgo (editoras atuais), Comix Boop Shop, Revistas & Cia, Point HQ, Banca Flávio e Itiban (lojas), Cida Cândido, Gonçalo Junior, Gualberto Costa, Sidney Gusman e Giovanni Voltolini (amigos da HQ nacional) e Gibiteca de Curitiba, Gibiteca Henfil, Salão de Humor de Piracicaba e Núcleo de HQ da Fau-Usp (entidade).

2003: Angeli, Angelo Agostini, Carlos Estêvão, Chico Caruso e Rivaldo (mestres), Mozart Couto (desenhista), Marcelo Cassaro (roteirista), Roko-Loko/Opera Graphica Editora (lançamento), Quadrinhos Independentes/Edgar Guimarães (fanzine), Franco de Rosa e Roberto Guedes (editores), Alexandre Jubran e André Vazzios (artistas de arte-técnica), Mozart Couto e Renato Guedes (arte-finalistas), Bira e Marcio Baraldi (cartunistas), André Diniz, Sidney Gusman e Opera Graphica Editora (Troféu Jayme Cortez).

2004: Luiz Gê, Minami Keizi e Paulo Caruso (mestres), Wanderley Felipe (desenhista), Fábio Moon e Gabriel Bá (roteirista), Roko-Loko e Adrina-Lina Atacam Novamente/Opera Graphica Editora (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine), Marcio Baraldi (cartunista), Roberto Guedes (Troféu Jayme Cortez) e Diogo Saito (prêmio especial Hermes Tadeu-colorista).

2005: Jorge Barkinwel, Lor e Sônia Luyten (mestres), Fábio Moon e Gabriel Bá (desenhistas), Marcatti (roteirista), Tattoo Zinho/Opera Graphica Editora (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine), Bira Dantas (cartunista) e site Bigorna.net (Troféu Jayme Cortez).

2006: Gutemberg Monteiro, Luiz Teixeira da Silva (Tule) e Xalberto (mestres), Fábio Moon e Gabriel Bá (desenhistas), Anita Costa Prado (roteirista), Katita, Tiras Sem Preconceito/Editora Marca de Fantasia (lançamento), Justiça Eterna/Sérgio Chaves (fanzine), Marcio Baraldi (cartunista) e Edgard Guimarães (Troféu Jayme Cortez).

2007: Aníbal Barros Cassal, Antônio Luiz Cagnin, Diamantino da Silva, Fernando Dias da Silva, Ofeliano de Almeida e Salatiel de Holanda (mestres), Laudo Ferreira Junior (desenhista), Anita Costa Prado (roteirista), Menino Caranguejo/Splinter Comics (lançamento), Justiça Eterna/Sérgio Chaves (fanzine), Marcio Baraldi (cartunista) e Eloyr Pacheco (Troféu Jayme Cortez).

28.1.08

Macumba NoisecoreBlackHell - by Valmar Oliveira e Marcelo Conceiçao



Macumba NoisecoreBlackHell - Uma Produçao amadora e totalemente fundo de quintal da Pig Films, criada por estudantes da Escola de Belas Artes da Bahia (UFBA). Filmado em apenas duas tardes sem dinheiro e com muita cara de pau, em meados de 2006. Agora é so tomar vergonha na cara, arranjar dinheiro e começar a fazer algo que preste!!! Mas foi divertido...

O site “Boca do Inferno” e a “SM Editora” lançam uma revista em quadrinhos em parceria




O site de horror “Boca do Inferno”, editado por Marcelo Milici, e a “SM Editora”, de José Salles, fizeram uma parceria que resultou no lançamento do número 1 da revista em quadrinhos “Boca do Inferno.Com” (Janeiro de 2008).
A capa é colorida e de autoria do artista Walter Junior, o mesmo ilustrador que fez a página de abertura do “Boca do Inferno”.
Ele também participa com a HQ “Um Coração de Presente”, cuja capa da revista foi inspirada. O restante do conteúdo inclui as HQ´s “Coleção de Naturalista”, nova aventura do Conde Lopo, personagem criado por Marcos T. R. Almeida, “Para o Horror e Além”, de E. Thomaz, e “Hooker Avenger”, com roteiro de José Salles, desenhos de Laudo Ferreira Junior e arte final de OmarViñole.
Ainda tem quatro ilustrações de página inteira de José Nogueira e a coluna “Clássicos do Cinema de Horror”, com uma breve análise de Renato Rosatti sobre o filme “Teatro da Morte” (Theatre of Blood, 1973), com Vincent Price.
São 32 páginas em formato 155 x 218 mm, capa e contra capa coloridas, R$ 3,00 (entrega em mãos) e R$ 5,00 (pelo correio, com frete incluso).

Interessados solicite seu pedido através de e-mail ou carta, informando o endereço postal completo, para:
Marcelo Milici – e-mail: revistaboca@yahoo.com.br

19.1.08

Pelé - by Francisco Soza

Grande ilustração do Francisco, pintura em acrílica.Dessa ai, até a dona do blog "Garota do Jornal" vai gostar!!!!

Globalização - by Hector Salas



Globalização é o termo utilizado para o processo de transformações econômicas e políticas que vêm acontecendo nas últimas décadas. A principal característica é a integração dos mercados mundiais com a exploração de grandes empresas multinacionais. Junta-se a isso a grande revolução tecnológica com o uso cada vez maior de telefones, computadores e televisão e a uniformidade das informações com o surgimento e explosão da Internet e dos canais de televisão por assinatura. Com isso os países passam a interagir não só na economia e na política, como também na cultura. Se bem que no papel é tudo bonito , mas na realidade o bicho pega!!!

3.1.08

Você sobreviveria a um Apocalipse Zumbi?

Você teria chances de sobreviver no causo de um holocausto de zumbis? Essa é a proposta de um teste interessante publicado na Internet. Sem mais delongas, clique em http://www.justsayhi.com/bb/zombie e realize o teste. Vale lembrar que o teste é em inglês.
Abaixo meu score...nada mau...

60%

Looking for x-ray technician schools?



60%