21.5.10

A volta do Garra Cinzenta e outras novidades de Emir Ribeiro


Velta & Raio Negro

A Série Velta & Raio Negro, escrita e desenhada pelo quadrinhista paraibano Emir Ribeiro e lançada pela editora Júpiter II, chega à segunda edição resgatando mais uma criação clássica dos quadrinhos brasileiros: o Garra Cinzenta, criado em 1937 por Francisco Armond e Renato Silva e considerado o personagem precursor das HQs de terror no País.

"Há muito tempo eu queria trazer o Garra Cinzenta de volta. A oportunidade se apresentou agora, em Velta & Raio Negro. Penso em, a cada edição, trazer uma terceira atração, ou seja, outro personagem para contracenar com a dupla", disse Emir Ribeiro ao Universo HQ.

Na trama desta aventura policial e de mistério, o vilão retorna à vida, nos tempos atuais, e se vê obrigado a combater os dois heróis para prosseguir com seus planos de terror.

O primeiro combate ficou em aberto, com pontas soltas para uma possível continuação. "Haverá um segundo encontro do Garra com Velta e Raio Negro, mas ainda não há previsão da data; tampouco o roteiro foi escrito. De imediato, está apenas fixado que o vilão irá se vingar da dupla", revelou o autor.

A edição é completada com uma extensa matéria sobre o Garra Cinzenta, na qual há a informação de que um dos criadores do personagem era na verdade uma mulher, na época se valendo de um pseudônimo para escapar do preconceito contra quadrinhistas do sexo feminino.

Outra novidade anunciada por Emir Ribeiro é o crossover entre Velta e a vampira Mirza, criação de Eugênio Colonnese, que já está em produção.

Velta & Raio Negro # 2 tem 28 páginas em preto e branco, custa R$ 3,00 e pode ser adquirida na Comix Book Shop, em São Paulo/SP, ou diretamente na editora Júpiter II, pelo e-mail smeditora@yahoo.com.br.

Velta e a vampira Mirza

2 comentários:

Ivone Boechat Oliveira disse...

Meu canto

Ivone Boechat (autora)


Eu faço versos
pra espantar
meus sustos,
dores, angústias
e tristezas vãs...
vou caminhando
pra esquecer
o tempo,
e, nesse alento,
vou buscando
as mágoas,
pra apagar as
chagas
e recomeçar.
Sou como lírio
que ilumina o vale escuro,
sou como águias
à procura do infinito,
busco no vento a força
contra o muro,
e, nesse alento,
vou buscando as mágoas
pra apagar as chagas
e recomeçar.
Chuva miúda,
dor pequena,
tarde calma,
luz maior,
partir sem medo,
sem fazer segredo,
voltar sorrindo, se puder voltar,
e, nesse alento, vou buscando as mágoas,
pra apagar as chagas e recomeçar.
Revendo amigos,
conhecendo mundos,
atravessando abismos,
pra poder contar,
vou com as flores
enfeitando estradas,
pra poder na volta te encontrar,
e, nesse alento,
vou buscando as mágoas,
pra apagar as chagas
e recomeçar.

Publicado no meu livro AMANHECER 3ª.Ed Reproarte -RJ 2004

Consultora em Educação disse...

Mulher

Ivone Boechat (autora)

Um aroma suave
exalou das mãos do Criador,
quando seus olhos contemplaram
a solidão do homem no Jardim!
Foi assim:
o Senhor desenhou
o ser gracioso, meigo e forte,
que Sua imaginação perfeita produziu.
Um novo milagre:
fez-se carne,
fez-se bela,
fez-se amor,
fez-se na verdade como Ele quer!
O homem colheu a flor,
beijou-a, com ternura,
chamando-a, simplesmente,
Mulher!